sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Vendução

A muito tempo, o vento não falava comigo
De frente à janela, ouvi as cortinas subindo
Alguém me chamava bem baixo
Era o vento, dizendo estar apaixonado

Aproximei meu corpo dolorido da última queda
Inclinei meus ouvidos recém iludidos 
Para a prosa na janela
O vento dizia que eu era bela, 
Que eu tinha o que ele não via nela

Deixei-me levar de novo 
Pela música alta
Era para uma dança 
que o vento me chamava

Com medo trocamos os passos
Rodamos, pulamos, entre os compassos
A dança ficava mais terna
A cada passo que eu dava para mais perto da janela

Na ponta entre a imensidão 
E o lado de dentro da tela
Rasguei os meus dedos
tentando passar por ela

O vento dizia 
"vem, pula", "vem, me abraça"
Atenta, eu ouvia 
Achando graça

Cambaleando ao meio fio
Ouvi suas ultimas palavras
O vento dizia "jamais serás abandonada"

Assim como tu fez
O vento me abraçou
Só que mais rápido, mais forte
Deixando surdo o ouvido que ia de encontro à morte

Assim como tu fez
O vento me deixou
Novamente, o chão me segurou

Assim como tu fez
O vento não voltou
Me senti como da última vez
Quando soube que você nunca me amou.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

 renata massa