sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Fui-maça

Foi na tua ausência que eu vi
Que minha paz não estava ali
Ela me dava em caixinhas
A fumaça que eu queria dentro de mim

Usou do trago como afago
Mostrou-me lados que eu não vi
Vi quente e congelei
Aquela não é a mulher que amei 

Inverti papéis airados
Cortei em tiras o vermelho dos teu lábios
Usei a noite como desculpa
Pra cometer o pior dos pecados

Mas a luz vem pra eu enxergar
E ver que ali não era o meu lugar
Sobrou bituca pro meu lado
Mesmo sem a fumaça ficar

Era chuva que caía
Calado, eu me arrependia
Afoguei-me nos prantos 
Enquanto você dormia

Notei que só fumaça não bastava
E que a fumaça não durava
Nada em mim acendia
Porque fogo ela não tinha

Era o momento de perceber
Não adianta ela ter maço
Se não tem fogo pra acender


Nenhum comentário:

Postar um comentário

 renata massa