sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Saudade

Saudade 
de quando tuas mãos percorriam as ruas do meu corpo
do toque delas na pele quente
que desejava retribuir o carinho a cada esquina dobrada
do ar  incessante que saia de tua boca
embaçando os espelhos e me deixando louca
do som que me provocava
e das expressões no rosto que ao me ouvir formava
e me amava
como se nada mais no mundo importasse
era como se o tempo parasse pra gente se amar
mas não parou
e mais uma vez você me deixou saudade
e aquela vontade jamais passou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 renata massa